Showing posts tagged BENS.
x

animae manifestum

diz, pede, sugere, pergunta, comenta, manifesta-te!   animaemanifestum@gmail.com
BENS

Não é fácil assistir a uma lenta e psicologicamente excruciante degradação mútua entre pessoas supostas de serem as mais importantes das suas vidas. A cassete não muda. Tudo é expectável. A rotina dita a ordem das coisas, pega nos peões e move-os no tabuleiro num percurso previsível, de jogadas repetidas de ataque e contra-ataque. A ansiedade antecipada apenas declara o final já conhecido. 

Quando é assim no local dito nosso “refúgio”, há que me refugiar em outro lugar. Enquanto Barcelona não vem, será num café, num livro, numa caneta e num caderno, num amigo, no Sol e nestes BENS que vos deixo.

- os feeds diários, autênticos regales para os olhos do Canal House.

- um concerto muito especial.

- uma Lindsey Wixon que eu nunca pensei que pudesse existir!

- esta fotografia.

- o filme que mudou a minha vida.

- as-minhas-novas-pérolas.

- o alerta para uma mudança massiva.

- o “Melancholia” novinho nas minhas mãos.

- a sensação tão old school e preciosa de ver pela primeira vez as fotografias reveladas após muitos anos de digital.

- Keri Smith sobre a cultura.

- o calorzinho bom que se faz sentir nas horas de almoço no pátio da faculdade.

- o reconhecimento e franca satisfação por um trabalho bem feito com um grupo fantástico.

- provei o Tofu que aqui falei e gostei. Se bem que o molho e as sementes e ervas maravilhosas são os verdadeiros protagonistas.

- gente que lê.

- o homem mais lindo, não podendo deixar de mencionar também este.

- Gill & Jamie.

- a visão do leito perfeito.

- mel, o açúcar no seu esplendor.

- fantásticos projectos de autor como este.

- a audácia deste senhor.

- o melhor da produção televisiva nacional actualmente.

Bird by bird, bird by bird… tentei escolher um excerto que espelhasse de algum modo a genialidade deste livro, tudo aquilo que acarreta mas não consigo. Creio que o que vem escrito na contracapa é um bom começo. É para quem gosta de escrever e de ler mas que provavelmente precisa de um empurrãozinho. Mas também é acima de tudo para quem sentir uma urgência enorme em ver as coisas fora de si. O Ensaio sobre a Cegueira, lido por mim no alto dos meus 16 anos tem escrito na contracapa uma frase que nunca fiz qualquer esforço por me lembrar, mas que aqui ficou: Se puderes olhar, vê. Se puderes ver, repara.

- ler poemas de tempos antigos que me remetem para os meus frescos tempos antigos.

- torrada de pão alentejano, encomendado directamente do Alentejo semanalmente pela minha velhinha preferida do coração, com manteiga e sumo das melhores laranjas de sempre do quintal da minha velhinha preferida do coração.

— 2 years ago
#bens  #pequenos-almoços  #pasta  #tofu 
o início dos meus bens

Todas as semanas escreverei os meus BENS. Coisas que fiz, que vivi, que quero fazer e que quero viver. Coisas boas.

Isto vai ajudar-me nos/para os dias em que, tal como hoje, uma inquietação e estranha ansiedade me assaltam a mente, por vezes despoletados por filmes ou imagens, umas belas outras inquietantes, por ter de conviver com maus comportamentos sucessivos de pura irresponsabilidade ou de testemunhar péssimas atitudes inconscientes ou totalmente conscientes, e sem eu ter a capacidade de as ignorar ou contrabalançá-las com o mesmo número de coisas boas, acabando por levar por vezes uma existência masoquista, de quem parece que gosta de levar assim uma vida, percepcionado muito mal e pouco bem.  
Vai ajudar-me a organizar-me, como um lembrete de que a vida vale muito e sempre a pena.

BENS:

- uma grande caneca de leite com café quando chego a casa, depois das aulas.

- jasmim, madresilva, sândalo, mel, pêra e lucia-lima.

- esta receita, que será a derradeira oportunidade que darei ao tofu para me surpreender.

- mini-férias de três horas que me souberam bem como a vida, passadas em jeitos de piquenique, apanhando banhos de um Sol quente de Inverno nos jardins de Belém com fantástica companhia.

- dar a conhecer à responsável deste site o quão grata estou pelo trabalho fantástico que ela faz semanalmente.

- casas bonitas. Como esta, esta, a deliciosa intimidade desta, esta e esta, que parece ter saído de um mercado de velharias.  

- Todd Hido e Kawashima Kotori.

- Ryan McGinley a fazer magia, como sempre.

- A música portuguesa a dar provas que a crise não a afecta.

- O Wang e a HelloMe a praticar um design que dá gosto de ver.

- Music made in UK. Here and here.

- Musique fabriqué en France. Ici.

- A propósito de um novo projecto, a descoberta do mundo fantástico dos cães através da Wikipédia.

- este forno.

- “You can’t draw pictures that aren’t a reflection of yourself, it can’t be done. (…) Nothing comes easy to me. That is why I am an insecure artist when I sit down to make a new job, but then I found out that Fred Astaire was extremely insecure before he made a new dance for the movie. And if Fred Astaire is insecure, I can be insecure.  Young people when starting into the field are looking for style but what you don’t realize is that you are the style, the persona that you have is the style. The fact that I am insecure really shows up in my drawings, I have a sketchy line, not a hard edge like some artist have, it is a nervous line because I’m a nervous person, you learn to accept yourself and your style comes right out of it.” - Ed Sorell *obrigada Maria*

- The Sartorialist sempre a inspirar.

- Barbara Wojirsch.

- O CD que o meu irmão acabou de comprar e que estamos neste momento a ouvir.

- almoços há muito prometidos finalmente concretizados no ST.

- a minha carry-to-everywhere-i-go Olympus iSnap, oferecida há 8 anos (jesus, há tango tempo…!) e resgatada da garagem há dois meses.

- -magazines- -que- -dão- -gosto- -de- -ver-.

- As histórias e tempos cruzados de Inarritu.

- Dançar toda a noite com a melhor companhia após um longo período de pausa.

- A cena final (todo o filme para dizer a verdade).

- isto (look down).

Não consigo explicar a minha felicidade ao ver a minha tigela de Chocapic, cheirar e sentir na boca os cereais ensopados em leite achocolatado cheio de espuma bem quente  e ouvir a crepitar aqueles pequenos flocos de trigo e chocolate com um sabor sem igual. Pouca comida me dá tal conforto. Aos anos, literalmente, que não comia. Para quem não repete um pequeno-almoço dois dias seguidos, quer-me parecer que a não-rotina vai ser quebrada.

P.S: fazer lista de BENS é o vício mais saudável que conheço. 

— 2 years ago
#BENS  #not about food